Metropolitano perde para Marcílio Dias e segue na zona do rebaixamento
05/02/2019 07:09 em Futebol

 

 

Na tarde desse domingo (03), o Clube Atlético Metropolitano recebeu o Marcílio Dias pela sexta rodada do Campeonato Catarinense 2019. A partida terminou com vitória do Marinheiro por 2 x 1, com gols de Jean Dias e Braga. O estreante Júnior Pirambu foi quem marcou para o Verdão.

A partida começou com o Metropolitano melhor, indo para cima e dominando a posse. Mas aos poucos o Marcílio Dias foi gostando do jogo e conquistando espaço. Com 25 minutos, Jean Dias aproveitou sobra e bateu de fora da área para abrir o placar para os visitantes. Assim ficou o primeiro tempo, 1 x 0.

No segundo tempo o Metropolitano fez duas mudanças, tirou Angelo e Trípodi e colocou Bruninho e Júnior Pirambú. As trocas deram resultado e o Verdão chegou na frente. Bruninho até chegou a empatar, mas o bandeira pegou impedimento – erroneamente – e anulou o gol. O Metropolitano não se abalou e pouco tempo depois já marcou novamente. Júnior Pirambú, o estreante do dia, aproveitou sobra na pequena área e mandou para o gol aberto, empatando.

O jogo a partir daí ficou pegado. O Metropolitano foi tomando conta mas sem eficiência, enquanto o Marcílio buscou aproveitar de contra-ataques para tentar a vitória. No finalzinho, com 48 minutos, foi marcada falta para os visitantes. A cobrança foi na primeira trave e Braga aproveitou a saída errada do goleiro para desempatar. Fim de jogo logo em seguida e vitória itajaiense em Blumenau.

 

Verdão precisa de mudanças se não quiser ser rebaixado

 

Um time fraco com um elenco forte. O potencial do Metropolitano é muito mais alto que a qualidade de jogo demonstrada. É uma mistura de jogadores experientes com jovens promissores, que formam uma equipe rápida e que sabe (ao menos deveria) criar jogadas perigosas.

O técnico Marcelo Mabília montou o time de maneira extremamente defensiva nas primeiras rodadas. Jogando com um meio recheado de volantes e tentando vencer apenas em contra-ataques. Contra o Figueirense decidiu por mudar a tática. Colocou um meia atacante para jogar mais a frente e o time saiu mais para o jogo.

Deu resultado. Após um primeiro tempo ruim, o Verdão dominou na segunda etapa e conquistou o empate – que seria vitória se não fosse a individualidade de Ari Moura.

Contra o Marcílio foi a mesma coisa. Um primeiro tempo ruim seguido de uma etapa complementar forte e dominante. O Metropolitano foi se encontrando e com boas jogadas de Negueba e Bruninho, incomodou a defesa adversária. Júnior Pirambú se mostrou mais impactante que Trípodi dentro do esquema e com qualidade segurando a bola, deu trabalho para os defensores.

 

 

Assim como contra o Figueirense, faltou Ari Moura levantar mais a cabeça para o Metropolitano ser eficiente. O ponta, que fez uma ótima série B em 2018, vem comprometendo os momentos ofensivos do Verdão ao optar a todo o momento por jogadas individuais. Contei, juntando os dois últimos jogos, sete ataques nos quais se passasse a bola, teria mais potencial.

Bruninho é uma boa para a titularidade do Verdão. Talvez começar jogando no lugar do Ari possa resolver um pouco a objetividade na frente. Mas também é interessante jogar com Bruninho no lugar de Angelo e manter o Ari Moura. O importante é fazer com que ele se toque que há companheiros no time.

O técnico Marcelo Mabília* também já está fazendo hora extra. Ficou no comando do Metropolitano muito pelo título da série B, pois estava sendo criticado e muitos pediam sua saída.

Nesse ano não vem conseguindo montar o time de modo a incomodar os adversários. Pelo contrário, permite muito jogo e respeita mais do que o necessário.

Rola pela imprensa o boato de que Abel Ribeiro estaria chegando ao Metropolitano para ser treinador. Também não é a solução. Um time com atrasos salariais e dificuldades financeiras tem que buscar medidas caseiras para resolver os problemas. Isaque Pereira fez uma excelente série D em 2017 e foi muito bem no período em que comandou o Verdão em 2018.

Está na hora de o Metropolitano parar, pensar e reestruturar seus planos para esse Catarinense. Não é momento para arriscar, sim para ser conservador e ir atrás de se manter na elite estadual. Mudanças são necessárias, mas as soluções não estão muito longe. Pelo contrário, estão dentro do CT Romeu Georg.

 

* Nota do editor: Mabília (em comum acordo, segundo nota enviada a imprensa) foi desligado do comando técnico do time. Nesta terça (dia 5) um novo treinador será anunciado.

 

Texto e Foto interna: Marco Aurélio

Foto da capa: Sidnei Batista

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!